Cegás é a primeira distribuidora do Brasil a injetar o Gás Natural Renovável em sua rede de gasodutos.

Combustível é a partir do biogás gerado dos resíduos sólidos no ASMOC (Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia) e contribui para a redução de gases do efeito estufa.

A Companhia de Gás do Ceará – Cegás investiu R$ 22 milhões na construção de uma estação de transferência de custódia e de um gasoduto de 23 km que transporta o gás natural renovável produzido a partir do biogás gerado dos resíduos sólidos no ASMOC (Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia).

O projeto é bom de exemplo de Parceria Público-Privada. O governo do Ceará, por meio da Cegás, estruturou a operação e faz a distribuição do gás natural renovável, a prefeitura de Fortaleza viabilizou o acesso aos resíduos sólidos, a GNR Fortaleza (dos grupos Marquise e Ecometano) montou a usina de produção e a Cerbras- Cerâmica do Brasil, cliente da Cegás, assumiu o compromisso de consumir o gás produzido no período inicial da operação.

Trata-se de uma inciativa inovadora, ousada e pioneira, já que a Cegás foi a primeira distribuidora no Brasil a injetar na sua rede de gasodutos, a partir de dezembro de 2017, gás natural renovável produzido do lixo. Já a Cerbras tornou-se a primeira indústria brasileira a utilizar gás natural renovável canalizado em seu processo produtivo. Como a usina da GNR Fortaleza contribui para a redução de gases do efeito estufa, a empresa foi certificada para comercializar créditos de carbono, espécie de moeda ambiental criada a
partir da assinatura do Protocolo de Quioto, em 1997.

O projeto se adequa à Política Nacional de Resíduos Sólidos, aprovada e sancionada em 2010, e à Política Estadual de Resíduos Sólidos do Ceará, de 2016, uma vez que o aterro recebe diariamente cerca de 3 mil toneladas de resíduos sólidos domiciliares, os quais são convertidos em biogás pela ação bacteriana e purificados em planta industrial para gerar o Gás Natural Renovável – GNR.

O gasoduto de 23 km foi construído em Poliamida 12 e é considerado o maior do mundo com o uso deste material. Para fazer a distribuição do gás natural renovável para este gasoduto, foram construídos uma Estação de Transferência de Custódia – ETC – em Caucaia-CE e dois CRM's – Conjunto de Regulagem e Medição – e suas respectivas interligações com a Cerbras.

Um combustível mais eficiente, competitivo e inovador Esta obra proporciona para os clientes industriais, residenciais, comerciais e veiculares da Cegás um combustível eficiente, competitivo e inovador e à sociedade uma grande redução de danos ao meio ambiente. Seja através da redução das emissões de gases de efeito estufa que aquecem o planeta, eliminando a liberação de metano (CH 4 ) no meio ambiente e utilizando este gás para fins diversos, como também pelo estímulo ao uso de aterros de resíduos sólidos controlados, onde é evitada a contaminação dos mananciais hídricos do Estado.

A iniciativa abre também uma nova fronteira do conhecimento, estimulando pesquisas e ações envolvendo a academia e setor privado na busca de tecnologias inovadoras para a matriz de energias limpas e sustentáveis.

Usina produz 70.000 m³/dia de GNR

Essa usina será responsável pelo fornecimento inicial de 70.000 m³/dia de GNR à Cegás  que, provisoriamente distribuirá à Cerbras, e em breve, interligará este gasoduto com o restante da rede de distribuição.

Nesta obra são utilizados um tipo de tubo em material plástico poliamida que visam eliminar o custo com proteção catódica e permitir o fluxo do gás a elevadas pressões, uma vez que o traçado definido para esse gasoduto será coincidente com linhas de distribuição de energia de alta-tensão, localizadas às margens da rodovia, onde as tubulações serão assentadas.

 

INAUG GAS NATURAL RENOVAVEL; FOTOS MARCOS STUDART
INAUG GAS NATURAL RENOVAVEL; FOTOS MARCOS STUDART