Tendências

Nas últimas décadas, as empresas têm assistido a transformações muito amplas em seu ambiente competitivo, calcadas na valorização das preocupações de caráter ambiental e social, além das econômicas. Nesse sentido, o gás natural transformou-se na fonte de energia de origem fóssil a registrar o maior crescimento no mundo. Uma posição que detêm até hoje e que deverá manter no médio prazo.

No Brasil, a participação atual, de 12,3%, coloca o gás natural na quarta posição na matriz energética nacional e sua distribuição é feita por 27 empresas, as quais detêm o monopólio de atuação em suas regiões de concessão.

A rede nacional de gasodutos de transporte alcançou, em dezembro de 2016, uma extensão total de 9.409 Km, distribuidos por todas as regiões do Brasil. O gás natural também é importado por meio de gasodutos de transporte internacionais ou na forma de gás natural liquefeito (GNL).

A malha do Nordeste e do Sudeste, como também os gasodutos GASBOL e Uruguaiana – Porto Alegre, são interligados e fazem parte da malha integrada. Além das instalações existentes, estão em processo de construção: o Polo de processamento de gás natural do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro e o trecho Horizonte/Ce – Caucaia/CE, com 83,2 Km, integrante do projeto do Gasoduto de Transporte Serra do Mel – Pecém. Merece registro também o sistema isolado do Maranhão, na Bacia do Parnaíba.

A malha construída e os projetos em andamento, mostram a intenção do Governo de fortalecer a matriz energética brasileira de forte participação do gás natural.

Nesse contexto é que a Companhia de Gás do Ceará – CEGÁS pretende ser reconhecida pela inovação e excelência dos serviços prestados à sociedade cearense.

Perspectivas para o Futuro

EXPANSÃO DO MERCADO DA RMF

i) alinhada às estratégias de desenvolvimento sustentável e preservação do meio ambiente, a Companhia finalizou a construção do gasoduto de 24km que interligará o Aterro Sanitário de Caucaia à Rede de Distribuição da CEGÁS.

Esse gasoduto transportará o Gás Natural Renovável – GNR, também denominado biometano, que será extraído do Aterro Sanitário Metropolitano Oeste – ASMOC, em Caucaia-CE.

Este novo energético tem como vantagem o aproveitamento do material orgânico contido no lixo e a redução da emissão de dióxido de carbono (CO2) e de metano (CH4), gases intensificadores do efeito estufa;

ii) manutenção da estratégia de ampliação do atendimento aos segmentos comercial e residencial, destacando-se o planejamento da expansão da rede da CEGÁS visando o atendimento aos diversos bairros de Fortaleza;

iii) andamento da estratégia de ampliação do atendimento ao segmento industrial com enfoque nos polos industriais dos municípios de Pacajus, Pecém e Eusébio;

iv) expansão para outros polos de desenvolvimento no interior do Estado – Cariri, Sobra, Vale do Jaguaribe, Guaiuba.

NOVOS CLIENTES/NEGÓCIOS

 

  1. Residencial;
  2. Comercial;
  3. Siderúrgica;
  4. Químico-Farmacêutico;
  5. Gás Natural Liquefeito – GNL;
  6. Gás Natural Renovável – GNR.

 

 

Fonte: PDE – Plano Decenal de Expansão de Energia 2026 – EPE

Relatório da Administração – Demonstrações Financeira 2015/2016 da Companhia de Gás do Ceará – CEGÁS